Você é ótimo em exatas, mas em humanas nem tanto ou sabe muito de português (gramática), mas se embaralha na escrita?. A redação na hora do concurso parece ser um bicho de sete cabeças? A equipe Passe Já Concurseiro vai falar um pouco sobre isso e dar algumas dicas para você leitor.

As redações nos concursos na maioria das vezes são de caráter classificatório e eliminatório, por isso, desenvolver bem uma pode te fazer passar na frente de vários candidatos.

Embora pareça ser a parte mais complexa, um componente essencial para uma boa redação é a simplicidade. O uso de forma correta da língua portuguesa junto com a criatividade dissertativa são traços fortes para uma boa nota.

Mas não basta ter ideia se não souber como estrutura-las né? É preciso saber por onde começa e como se dá o desfecho das ideias. Desta forma será demonstrado como é o esqueleto de uma redação:

  1. Introdução
    Ela tem a função de apresentar o tema que foi dado para ser desenvolvido. A introdução precisa ser objetiva e sem apresentações confusas, pois o que está sendo colocado ali será discorrido em todo o texto. E ainda, esta parte significa iniciar, então não cabe argumentar neste momento.

 

  1. Desenvolvimento
    É nesta parte que você vai argumentar e expor suas ideias sobre o assunto do texto. Geralmente pode ser feita sob 3 ou 4 parágrafos, respeitando sempre a quantidade máxima de linhas pedida. Estes trechos também são os maiores em toda a dissertação.
  1. Conclusão
    Por fim, é hora de concluir toda sua ideia. Esta parte visa concretizar tudo aquilo que foi desenvolvido até aqui, fazendo um apanho geral e sucinto, finalizando com soluções ou sugestões para a temática. Neste momento, é válido ser reflexivo tanto como produtor, quanto para quem estará lendo posteriormente.

Pronto, já se sabe quais os passos a serem seguidos para uma boa redação, agora procure ficar atento aos assuntos atuais da mídia, que um deles pode ser um dos possíveis temas da sua prova.