O raciocínio lógico, é um dos pontos que os candidatos a uma vaga de concurso, têm “medo”, e esse sentimento acaba dificultando o aprendizado. Muitos ainda dizem que ele não tem nenhuma lógica. Mas o intuito da banca organizadora  é saber qual a capacidade dos futuros profissionais em resolver situações de forma rápida e organizada, em hora que para muitos é estressante.

A presença deles nos editais permite que o candidato exercite sua capacidade de raciocínio, memória e concentração, sendo estes alguns dos requisitos para ser um bom profissional. Assim como estas questões podem te dar aprovação, elas também podem te desclassificar.

O fato é que o melhor método para resolução é entender aquilo que está fazendo, mas isso, cada um deve descobrir qual modo de compreensão se fixa mais no seu cérebro. A leitura atenta de cada enunciado é essencial, partindo da ideia de que muitos candidatos ao invés de ler e interpretar a questão tenta imaginar o que o examinador pensou quando a elaborou.

Embora muitos pensem que somente a prática leva à eficiência, entender com eficácia a teoria é muito importante. Aqui vale resolver questões anteriores feitas pela banca responsável pela sua prova, pois te ajudará a seguir melhor o raciocínio deles.

Para além, é imprescindível que se leia o edital, ainda que pareça ser loucura, tem muitos que pretendem a nomeação ao cargo, não saibam nem o conteúdo que será cobrado, somente o salário que poderá ganhar. Há aqueles que não sabem se a prova será de caráter “múltipla escolha ou certa ou errada”.  Outro erro é a falta de atenção ao uso de lápis da resolução da prova. Apesar de parecer besteira, o uso destes materiais facilita muito caso o espaço dado não seja o suficiente. Por isso, quando não puder fazer uso deles, procure fazer as questões no menor espaço possível.

O nervosismo é seu oponente nesta hora. Se você estudou, já está apto a fazer a prova, ainda que não exista fórmula exata para resolver todas as questões dentro do tempo. Por isso ao começar a prova, é válido planejar como a resolverá, isto inclui por onde começará e o tempo para cada pergunta.

O que o candidato não pode fazer é deixar de lado algumas questões por falta de afinidade com a matéria que ela expõe, pois é nela que mais deve se esforçar. E reclamar da presença dela, não vai adiantar. É como se diz “se está no jogo é para jogar”, então se está no edital é para ser resolvido.